Nicolas Prattes dedica à atriz interpretação de Alfredo em ‘Éramos Seis’

By

Nicolas Prattes caiu na novela e no papel certo. Pelo menos a resposta do público leva a significante importância do intérprete de Alfredo em ‘Éramos Seis’. Escalado inicialmente para viver Carlos, o ator ganhou com mérito a chance de ser o filho rebelde de dona Lola (Glória Pires), 

Segundo o ator, a qualidade do trabalho começa em razão do bom relacionamento com a equipe. “Essa é a experiência mais desafiadora que eu já tive, eu sabia que ia ser assim, só eu sei o quanto eu pedi pra me desafiar e me tirar da zona de conforto. Chego aqui e me deparo com o elenco maravilhoso. Muito do que vocês assistem é por conta dessa energia e muita coisa a gente cria na hora. Claro que seguimos roteiro, mas adicionamos coisas. Eu nunca tinha tido isso com grande quantidade de pessoas no mesmo trabalho”, aponta Nicolas. 

Um fator abordado para a composição do personagem é a caracterização semelhante com Antônio Calloni. “O Alfredo é um alter ego do Julio. Quando o Carlinhos (Carlos Araújo, diretor da novela) falou em tirar o bigode, eu olhei para o Calloni e disse para não tirar, porque depois que o Julio morresse, as pessoas iriam associar”, lembra. 

Relacionamento com Inês?

Rebelde, o filho de Lola sempre buscou uma aproximação com Inês (Carol Macedo), no entanto, as investidas nunca alcançaram êxito maior devido ao namoro da jovem com Carlos (Danilo Mesquita). Para Nicolas, essas atitudes levam a crer que a filha de Afonso pode ser o pivô dos seus problemas amorosos: “A Inês pode ser muito do que o Alfredo é. Ela é a decepção amorosa dele. Na primeira cena da novela, ela dá um beijo no Carlos, durante a procissão, então muito se explica. Aí ele se cega para o amor, porque quando criancinha teve uma menina que se apaixonou pelo irmão. É tudo muito inflamado dentro dele”.

O momento da guerra

Nesta fase da trama, Alfredo se prontifica a ir para a guerra com o objetivo de vingar a morte do irmão, Carlos (Danilo Mesquita). Durante esse tempo longe de casa, ele tenta uma aproximação com Inês (Carol Macedo), embora sem conclusão. “Ele foi para essa guerra achando que tudo iria mudar porque queria vingar a morte do irmão. Ao retornar, percebe que não foi nada disso, que quem ganhou foi o governo, e que há mais repressão. Ele fica se perguntando porque foi (à guerra). A Inês não encontra espaço para falar com ele sobre isso, mas nesse momento ele está inflamado em bater de frente com o governo, dando espaço para o Lúcio (Jhona Burjack), um rapaz amoroso e estudado”, revela.  

“É tudo muito inflamado dentro dele”

Embora Alfredo seja aventureiro, Nicolas torce para que o personagem ache o seu caminho. “Eu torço para o Alfredo encontrar essa felicidade que tanto busca, mas não sabe o que quer. Eu não sei se é uma mulher o que precisa para ser feliz. Queria que tivesse uma fala assim: ‘isso era o que eu queria’. O Alfredo gosta de água corrente, mas que o mar não esteja tão bravo com ele”. 

Ao ser convidado para a trama, Nicolas Prattes inicialmente interpretaria o certinho Carlos, mas torcia em dar vida ao Alfredo. Em vista de uma situação simbólica, o papel chegou em suas mãos. “O Carlinhos (diretor) disse que eu ainda não tinha personagem, mas perguntou se eu estava na novela com eles, eu falei que sim. Eu saí daqui e fui direto pra praia, eu corro sempre para frente, mas estava olhando para baixo quando olhei para frente e vi o Tarcisinho (Filho, Alfredo na versão do SBT de 1994) passando de bicicleta por mim. Ele estava de óculos escuros, aí eu comecei a chorar correndo. É muito doido, fiz preparação como Carlos, mas sabia que não era isso. Tudo acontece quando tem que ser. Só que isso mexeu muito comigo, e me deu uma afirmação de que é o que eu quero para a minha vida”, analisa. 

+ + Vitória Strada fala sobre sua personagem em ‘Salve-se quem puder’

+ Luciana Braga fala sobre segunda participação em ‘Éramos Seis’

Elogios à mãe da ficção

Entre os colegas de elenco, Nicolas rasga elogios quando se trata de Glória Pires, a qual ele dedica parte de sua atuação. “Tive a confirmação de que não tem como não se envolver, ainda mais quando estamos envolvidos com as pessoas. É tudo tão transformador quanto tem essa conexão, porque a gente está trabalhando com a Glória Pires, um fenômeno em todos os sentidos. Quando se fala de uma pessoa para alguém, e ninguém tem o que falar dela. Oitenta por cento da criação da minha personagem vem dela. Eu tive um aprendizado muito grande, se eu tiver um por cento da generosidade que ela tem com as pessoas, vou conseguir clarear o ambiente e trazer essa energia”, reflete.

Alfredo ( Nicolas Prattes )

Siga o Opinião Cult nas redes sociais:

FACEBOOK: opiniaocult
TWITTER: opiniaocult
INSTAGRAM: @opiniaocult
YOUTUBE: Opinião Cult

Assine nossa Newsletter!

Conteúdos exclusivos. Você recebe antes dos demais. 

Leave a Comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

You may also like

Hot News