Opinião Lembra: 34 anos sem a “pimentinha” Elis Regina

By

 

Em 19 de janeiro de 1982, a música brasileira perdia uma de suas principais vozes: Elis Regina. Na manhã daquele dia, a artista de 36 anos foi encontrada caída no chão do seu apartamento no Jardim Paulista, SP, pelo namorado Samuel Macdowell. Levada ao hospital por um vizinho, já tinha chegado sem vida. A causa da morte: mistura letal de cocaína e álcool.

O resultado da autópsia veio apenas dois dias depois e foi constatado a mistura no organismo. Nascida em Porto Alegre, em 17 de março de 1945, Elis Regina começou sua carreira muito cedo. Com apenas 11 anos, já cantava em programas de rádio. Não demorou muito tempo para explodir seu talento, já em 1964 contava com quatro discos lançados. O primeiro grande sucesso: ‘Arrastão’, veio de Edu Lobo e Vinícius de Moraes.

Carreira

Elis Regina era uma artista nata, tinha qualidade vocal como poucas e presença de palco garantida. Considerada uma das cantoras de maior importância na história da música brasileira, ela vendeu 4 milhões de discos em 18 anos de carreira. Não há como enumerar a quantidade de canções de sucesso, mas podemos destacar algumas como ‘Como Nossos Pais’, ‘O Bêbado e a Equilibrista’, ‘Fascinação’, ‘Aquarela do Brasil’ e ‘Águas de Março’. A cantora também fez duetos com Roberto Carlos, Jair Rodrigues, Tom Jobim, Wilson Simonal, Rita Lee, Chico Buarque e o pianista César Camargo Mariano, com quem teve os filhos Pedro Mariano e Maria Rita.

Gênio Indomável

Com fama de briguenta, Elis Regina arrumou algumas desavenças enormes, entre elas com a musa da bossa nova Nara Leão. A artista também não economizava nas palavras, quase sempre recados de duplo sentido. A tal característica levou ao seu apelido de “pimentinha” do então amigo Vinícius de Moraes.

Veja algumas frases apimentadas da artista:

“As pessoas acham que sou antipática, porque eu não as encaro. Mas isso é porque eu sou vesga mesmo e quando vejo que vou ficar vesga eu começo a disfarçar. Eu sou a rainha dos disfarces”  Para o especial “Mulher 80”, da Globo, em 1980
“Eu não aguento minha insegurança. Acha que sou homem o suficiente para me encarar sozinha com o terapeuta?” Também para o especial “Mulher 80”, da Globo, em 1980

“A verdade é que Nara Leão canta muito mal, mas fala muito bem. No fundo, esta confusão toda é altamente promocional para ela” À revista “Manchete” em 1967, sobre Nara Leão. As duas eram ?rivais? na TV Record e trocaram muitas farpas pela imprensa

“Você é veado ou me acha uma merda?” Para o jornalista e compositor Ronaldo Bôscoli
“O Brasil de hoje é governado por um bando de gorilas” Ao ser questionada sobre a situação do país em 1969, pela revista holandesa “Tros-Nederland”

MÚSICAS:

Águas de Março

 

O bêbado e o equilibrista:

 

Como nossos pais

 

Elis Regina e Jair Rodrigues:

https://www.youtube.com/watch?v=qGsCmB7ejL4

 

Veja também:

Opinião lembra: New Radicals

Crítica: Os Oito Odiados

 

SIGA O OPINIÃO CULT NAS REDES SOCIAIS:

FacebookTwitterInstagram

 

Leave a Comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

You may also like